21.3.09

(...)


algumas vezes parecia ser tão segura de si aos olhos de outra pessoa. parecia determinada, forte e valente. independente, pés no chão e direta. pobre coitada era frágil, tinha um caminho longo a seguir, mas mal sabia se ia pela direita ou pela esquerda. era indecisa que só, mas sobre algumas poucas coisas ainda lhe restava um tanto de certeza. fazia tantos rodeios cuidando para que cada palavra dita não perdesse seu destino, seu sentido. não tinha muitas ambições na vida, mas vivia a vida a sonhar. seu sorriso não era largo, mas era único e sincero. sentimentos a flor da pele e, a procura por sua paz de espírito era sua melhor companhia em dias assim onde ‘sair de casa já é se aventurar’. uma menina mulher de poucos amigos e muita preguiça de pessoas. apaixonada pelo frio, era mal humorada no verão. perdia-se no barulho das folhas de outono, no cheiro das cores da primavera. escondia-se do mundo em um quarto pequeno, porém grande o suficiente para seus pequenos sonhos.

2 comentários:

Ana Cláudia disse...

óum que bunitinho....
realmente sair de casa já se aventurar, e voce pq nao desceu tomar uma bera comigo hein!?

Thays disse...

pequenos grandes sonhos.
pequenas grandes poesias.

chega logo o inverno!