31.7.12

quanto tempo você tem?


Semana passada participei de um treinamento sobre gerenciamento de tempo e foi muito bom saber que, apesar do pouco tempo que tenho para mim, para as minhas coisas, tenho ministrado muito bem a ordem de minhas prioridades.


É uma sensação boa saber que apesar de todos os deslizes e de todas as vontades de desistir, estou firme e forte vivendo bem, trabalhando bem, amando bem.

Viver, trabalhar e amar. Parece o título daquele livro que eu nem li e daquele filme que eu dormi logo no começo. Não sou desinteressada, não me julgue. Apenas não tive tempo para me dedicar a leitura e o tempo que tive para assistir o filme, resolvi colocar meu sono em dia.

Mateus dorme super bem, então engana-se quem pensa que meu sono atrasado é culpa dele, não mesmo. Mas quando ele dorme, que é super cedo, é quando consigo me dedicar a minha casa, meu marido, minhas peculiaridades.

Não gosto mais de sair como antes. O tempo em que eu gastaria vendo as mesmas pessoas, nos mesmos lugares, com os mesmos papos furados eu prefiro perder aqui no meu sofá, na minha casa, com meu marido fazendo os nossos planos, disputando o controle remoto e decidindo qual vai ser a sobremesa da madrugada.

Gosto também deter um tempo para receber os amigos, as pessoas de bem. Aquelas que a energia positiva é vista de longe e se entrega em um sorriso largo e demorado. Gosto de gente assim e também gosto do silêncio. Do meu.

Antes eu reclamava, mas to achando bom demais não ter tempo pra muita coisa, ser mais seletiva. Ou em poucas palavras: ter todo o tempo do mundo apenas para as coisas que me fazem bem.

ps:
Hoje, por ironia do destino li a seguinte frase: 'quem tem tempo é rico'.

17.6.12

não quero nunca perder a essência de escrever, pois se não posso gritar, ao menos posso escrever.
-


ontem voltei pra casa e me sentindo assim.

14.6.12


Hoje participei de um encontro de blogueiros e na volta pra casa, depois de ouvir todas as coisas fantásticas que ouvi sobre a blogsfera comecei a refletir sobre todas as pessoas que um dia me disseram que blog é coisa de gente boba, sozinha, infeliz, que essas pessoas deveriam uma vez na vida participar de um encontro como esse, o #EIBTUR. 

_

Voltei com muita sede de escrever.

3.6.12

(domingaz)


Hoje é um daquele dias em que eu não sairia do quarto por nada. Por nada se não fosse toda a volta que minha vida deu nos últimos dois anos. Sem reclamações, apenas uma vontade louca de um abraço apertado e uma voz suave me dizendo que tudo vai ficar bem, que felicidade é isto aqui e todas as coisas boas que podemos trazer pra perto e dentro de nós.

Não tenho tido muito tempo, mas tenho um emprego legal que aprecio, gosto e me dedico muito. Um filho lindo, esperto e cheio de vida que me beija e abraça sem pedir  nada em troca. Uma casa pequena, mas cheia de amor, brinquedos e dependendo do humor:  um bolo quentinho com cobertura de brigadeiro.

Tenho um companheiro leal, inteligente e que me quer bem. O verdadeiro homem da casa que além de dividir a cama, divide a cozinha, a louça suja do jantar, as trocas de fralda, os banhos quentinhos do mateus, o controle da tv…

Escrevo muito todos os dias, mas hoje bateu aquela vontade de me escrever, me colocar pra for a outra vez como fiz todas as vezes que senti vontade. Por mais que ninguém leia, por mais que ninguém note me dá uma sensação de alívio saber que isso ainda faz parte de mim.

Escrevo, já que poucos tem tempo pra ouvir ou paciência para entender.

10.4.11

é a ultima chance. ou faça valer ou saia do caminho, pois outras pessoas querem passar, novas historias querem ser criadas e ser a pedra no caminho não vai resolver em nada. acorda menina! o sol nasce todo dia, mas nem por isso todos os dias são iguais!

21.9.10

~


Como dois estranhos, cada um na sua estrada, nos deparamos, numa esquina, num lugar comum. E aí? Quais são seus planos? Eu até que tenho vários. Se me acompanhar, no caminho eu possso te contar. E mesmo assim, eu queria te perguntar, se você tem ai contigo alguma coisa pra me dar, se tem espaço de sobra no seu coração. Quer levar minha bagagem ou não?

E pelo visto, vou te inserir na minha paisagem e você vai me ensinar as suas verdades e se pensar, a gente já queria tudo isso desde o inicio. De dia, vou me mostrar de longe. De noite, você verá de perto. O certo e o incerto, a gente vai saber. E mesmo assim, queria te contar, que eu tenho aqui comigo alguma coisa pra te dar. Tem espaço de sobra no meu coração. Eu vou levar sua bagagem e o que mais estiver à mão.


(dois; tiê)

20.9.10

só não sou mais feliz por falta de espaço.