30.1.09

.eu perco as chaves de casa.

única. ímpar.

nunca fui boa com números, o que era e sempre foi uma boa desculpa na faculdade, da vida. gaguejei algumas vezes, sorri muitas outras. suspirei como se fosse a última vez. imaginei fotografias. me perdi nas horas. abracei pra nunca mais soltar, soltei. eu já não sei mais como é isso. perdi o manual.

perco os sentidos.
já dizia el principito: ‘o essencial é invisível aos olhos’.
obrigada por cada felicidade dividida com você, nos silêncios dos suspiros e risadinhas.

...

ainda estou em sintonia com as férias. cerveja de segunda a segunda. abraços e carinhos sem ter fim, todos os dias de sorrisos constantes. noites que viram dias e dias que viram noite. tenho dormido mais do que a cama, diz minha mãe. me joguem um balde d’água nesses dias de janeiro que são quentes.

quentes como asfalto.

...





só vim pra dizer que as cores estão mais lindas desde o dia que você apareceu.

1 comentários:

thays disse...

a paixão pegou a carol!