9.12.08

.e agora o amanhã, cadê?.

mal se passaram vinte e quatro horas e a vontade que eu sinto de você é tão intensa, que foge de meu alcance tentar segura-la. como se o esforço de minhas mãos fosse em vão e o meu desejo fosse mais forte do que qualquer bebida alcoólica que me acompanhou durante toda a noite, na tua ausência. me explica o que é tudo isso. me explica o teu perfume, o gosto da tua boca e o claro desses olhos que eu me perdi.



não quero saber do amanhã.
meu sorriso de felicidade é hoje.

1 comentários:

bicmuller disse...

do amanhã só quero o gosto.

ai, nossas vidas gêmeas.